sábado, maio 15, 2021

Rodapé Convencional, Embutido e Invertido.

A função do rodapé é dar acabamento na junção entre piso e parede além de proteger a base da parede contra batidas de móveis e objetos como vassouras e rodos por exemplo.

O rodapé é um acabamento colocado APÓS a colocação do piso pois ele disfarça as imperfeições das réguas quando encostam nas paredes, lembrem-se que as paredes geralmente estão fora de esquadro por isso o recurso do rodapé ajuda muito no acabamento final. Além disso o rodapé protege as paredes de eventuais sujeiras ou panos de chão! Se forem de madeira resistem bem mas quando pintados de branco provavelmente terão que ser retocados de tempos em tempos dependendo do cuidado do dono da casa.

A altura padrão gira em torno de 10 cm a 15cm e isso vale para todos os tipos de piso. No entanto, as peças altas (de até 30cm de altura) Estão sendo muito usadas! Principalmente na cor branca ou em granito para banheiros e lavabos. Além de ressaltar a cor da parede e a tonalidade do piso, o ambiente parece ter mais profundidade. Existem, inclusive, alguns modelos empilháveis, que podem ser instalados um acima do outro.

Existem vários tipos de rodapé 







Rodapé Convencional 

A função de um rodapé convencional é dar acabamento na junção entre o piso e a parede, e protegâ-la contra impactos.Após a instalação ele deixa um ressalto para fora da parede  de 1 cm a 2cm  dependendo do material utilizado. 





Rodapé Embutido 

Você conhece o rodapé embutido? Trata-se do mesmo pedaço de piso cortado para rodapé, só que instalado alinhado ao reboco.

Para que isso aconteça é indicado que seu pedreiro na hora do reboco deixe a parte de baixo da parede sem rebocar. O ideal é que você saiba a altura do rodapé que irá coloca e para definir é sempre bom considerar a dimensão do piso, dividido em partes iguais.

A tendência é utilizar um rodapé mais alto, portanto se seu piso é de 80x80cm que tal dividir em 5 partes iguais de 16cm cada? Dependendo da mão-de-obra disponível e da área de instalação do rodapé, solicitar o corte em uma marmoraria, pois com as serras de lá, os riscos de quebra e consequentemente de desperdício diminuem.


Vantagens:
- Fica rente com a parede permitindo que os móveis fiquem bem encostados nela
- Não junta poeira igual o rodapé comum
- O espelho pode continuar até o chão, sem ter que tirar o rodapé ou ter que parar nele. (esse item é aconselhável apenas em casos onde o espelho não fique na mira dos pés)


Desvantagens:
- como os móveis ficam rentes com a parede, nesse caso, a chance de ter a parede riscada é maior, mas isso acontece só com os móveis que não são fixos.


Vale lembrar que esse tipo de rodapé só fica bonito se tiver um ótimo acabamento e fica melhor ainda se for retificado, pois se tiver a borda meio arredondada o rodapé não fica totalmente rente com a parede.


Rodapé Invertido ou Negativo






Um perfil de alumínio é instalado em um recuo na base da parede como um L invertido
O valor do produto não é muito alto, por exemplo, uma peça de 200 x 5 x 1 custa em média R$ 39,00* se comparado com uma barra de rodapé de poliestireno que dependendo da marca e da altura pode chegar a R$ 120,00 por barra ou mais sem tiver detalhes e desenhos específicos.


Entretanto, o custo da mão de obra do rodapé invertido tende ser maior pois o trabalho a ser executado é mais demorado. O ideal é já decidir o tipo de rodapé na fase inicial da construção ou da reforma, assim, pode negociar um valor de pacote com a empreiteira ou construtora.

Se tem um detalhe que pode fazer uma grande diferença em um ambiente é o rodapé. Mesmo quem não dá a menor importância para ele, percebe quando o ambiente não tem esse acabamento. Afinal, além de proteger a base da parede, o rodapé ajuda a emoldurar o ambiente e hoje já é usado como elemento decorativo, existindo inclusive, vários tipos de rodapé para investir na decoração da casa para deixar o acabamento muito mais bonito.^




Materiais para o rodapé:

 Madeira e MDF

A textura da madeira ajuda a dar um toque sofisticado ao rodapé e é normalmente mais alto que o rodapé comum. É um dos tipos de rodapé fácil de encontrar e aplicar e, no caso do MDF, pode ser pintado ou texturizado.
É preciso apenas ter cuidado com contato com água e combinação com piso de madeira – a mistura de dois tons, no piso e rodapé, pode ser arriscada.

 Mármore ou Granito

A nobreza das pedras faz deste um dos tipos de rodapé com acabamento bonito e resistente, mas são indicados para as áreas úmidas, como cozinhas, banheiros e saunas.
Por ser um material mais caro, aumenta o custo da obra e é preciso ter atenção com o lote de pedra comprado, pois uma mesma pedra pode ter diferentes tipos de padronagens.

Tipos de Rodapé: Porcelanato e Cerâmica
Ainda o tipo mais popular e amado dos brasileiros, a cerâmica é um dos tipos de rodapé fácil de combinar, tem boa durabilidade e é ideal para áreas úmidas. As opções em porcelanato podem 
reproduzir pedras ou madeira, deixando seu projeto ainda mais sofisticado.

Outros Tipos 
Hoje existem também outros tipos de rodapé, como poliestireno expandido (EPS), plástico, gesso e cimento. Ao escolher o material, leve em conta que ele também deve ajudar a vedar e proteger a junção entre a parede e o piso.

O rodapé de EPS é uma novidade no mercado, feito a partir da reciclagem de isopor, carcaças de computador, etc. Além de resistentes e modernos, são ecologicamente corretos e fáceis de instalar.
Cores e Padronagens para Rodapés

Por ser um item de acabamento com uma função de emoldurar a parede, o ideal é usar tons mais neutros nos tipos de rodapé. Mas ele não precisa ser todo branco: a tendência é combinar a cor do rodapé com a parede ou com a guarnição da porta.

O uso do rodapé branco continua em alta com paredes coloridas. Nesses casos, eles são mais altos, acima de 15 cm e, por isso, devem ser usados em locais amplos e de pé direito alto.

Pisos de madeira podem ter rodapés de madeira ou de MDF (MDF é a sigla internacional de Medium Density Fiberboard, que significa placa de fibra de média densidade) pintado de branco, depende da cor dos alisares e das portas pois o melhor é acompanhar o mesmo padrão. Um piso de mármore claro pode ter rodapé do próprio mármore, de madeira ou branco. Pisos de porcelanato podem ter o rodapé em madeira ou pintado de branco, nós não curtimos muito o rodapé feito de porcelanato, os rejuntes se tornam um problema. Gosto não se discute, o que realmente não funciona muito bem é a mistura dos materiais, não vale inventar!

Hoje temos no mercado um rodapé vendido à metro já com acabamento branco pronto para ser instalado, acabando assim com a tarefa complicada de aplicar massa, lixar e pintar. Eles são feitos de poliestireno, resistentes e fáceis de limpar.

Então surge a dúvida: Colocar o rodapé invertido e não me preocupar com cores ou acabamentos nos rodapés?

Tudo tem suas vantagens e desvantagens, o rodapé invertido precisa ser muito bem instalado com uma cantoneira de alumínio em forma de “L” feita para ser colocada para dentro da parede pertinho do piso, assim a sensação será de parede flutuando sem encostar no piso, fica belíssimo. Por outro lado a quina da parede fica mais exposta e os cuidados com a vassoura precisam ser redobrados.




sexta-feira, março 26, 2021

Rsidência A&M no Terras Alphaville


Um projeto único que já se destaca pelo revestimento em mosaico de pedra ferro e pelo design da fachada. Uma casa espaçosa, sendo dividida entre a área social e a área intima. Desse modo, mantemos a privacidade do lado intimo da casa, evitando entra e sai. A área social conta com a sala de estar integrada com a sala de jantar, e a cozinha, com acesso para a área gourmet.

quinta-feira, março 25, 2021

"Projetando Sonhos , Construindo a realidade..."

 Uma forma diferente, inovadora e moderna de trabalhar com a arquitetura.


"Projetando Sonhos , Construindo a realidade..."

Várias são as questões a considerar antes de pensar em construir: a localização, o terreno, o arquiteto, o estilo da edificação e claro, o quanto se quer (e se pode!) gastar.

O arquiteto é o profissional capacitado para auxiliar em todas as etapas que envolvem a construção.

Com uma assessoria desde o princípio do processo, o arquiteto vai evitar gastos desnecessários como o quebra-quebra de uma obra mal     projetada.


Portanto, se vai construir, CONSTRUA CERTO, CONTRATE UM ARQUITETO!

Nosso atendimento é personalizado e exclusivo.

Trabalho totalmente tridimensional ou seja, os projetos são desenvolvidos em maquetes eletrônicas 3D humanizadas desde os primeiros estudos.

Projeto Residência no Terras Alphaville - Campina Grande,PB 




Projeto Residência no Terras Alphaville - Campina Grande,PB 



Projeto Residência no Alphaville - Campina Grande,PB

















































Residência  em Tijolo Ecológico S&S


Residência Duplex em Campina Grande, PB.

Opção 1

Opção 2


Residências no Serraville, Campina Grande, PB.


Residência A&B





Projeto de área de lazer 






Projeto de Duas Residências no Serraville, Campina Grande, PB.



Residência no Parkville, em Campina Grande, PB.







segunda-feira, janeiro 04, 2021

CABECEIRA ESTOFADA

Quando pensamos no nosso quarto, sempre temos como objetivo deixá-lo mais aconchegante, mas também moderno e sofisticado, não é mesmo? Porém, muitos acham que essas melhorias só são possíveis mediante uma verdadeira intervenção no local — e isso não é verdade: uma cabeceira estofada pode resolver bem o problema.


Este tipo de cabeceira é um item de decoração muito utilizado atualmente. Até mesmo empresas do ramo hoteleiro adotam essa alternativa para manter os quartos do sempre mais bonitos e atraentes.



Tipos de tecidos para uma cabeceira estofada:

Couro



O couro é, com certeza, um dos materiais mais valiosos quando se fala de moda e decoração — e na criação de cabeceiras estofadas não é diferente. Isso acontece porque os produtos revestidos por ele se tornam mais luxuosos e práticos.

Uma das principais vantagens da cabeceira de couro é a lavagem fácil. Diferentemente de outros tipos de estofados, não há grande dificuldade em tirar manchas e sujeiras desse tecido, o que torna a vida útil da cabeceira muito maior.
Tecido sintético

Para quem deseja uma opção elegante, mas não tão onerosa quanto o couro, o tecido sintético é uma ótima alternativa. O material é de fácil manutenção e limpeza, além de sua aparência remeter bastante ao modelo anterior.

As opções para cabeceiras estofadas com tecido sintético são várias e o preço do material pode variar bastante. Ou seja, se houver uma boa pesquisa, é possível economizar na hora da compra.


Linho



Um material que favorece bastante a sofisticação e ao luxo. Porém, diferentemente do couro e do tecido sintético, o linho não é de simples lavagem. Por isso, é necessário um cuidado maior para evitar o contato com tecidos molhados, mãos sujas, suor etc.

No entanto, o linho tem uma grande vantagem térmica e oferece bastante conforto tanto no verão quanto inverno. Mas é importante realizar uma impermeabilização no tecido para evitar o acúmulo de pó.


Suede




É uma opção mais viável que o couro e o linho e mais resistente que o tecido sintético. No entanto, a cabeceira feita com suede também precisa passar por impermeabilização. No geral, o material consegue transmitir uma sensação de aconchego mesmo sendo uma opção mais econômica.

Jacquard


É um material que favorece qualquer decoração e, por esse motivo, é bastante versátil. O nome faz referência à complexidade de entrelaçamento apresentado nas cabeceiras. Ou seja, os próprios fios são utilizados para criar desenhos.

Basicamente, o jacquard é um tipo de tecido que vai garantir boa resistência aos produtos e grande sensação de maciez e suavidade ao usuário. Por isso, é uma boa escolha para fazer parte da cabeceira.

Como você pode perceber, a cabeceira estofada é um produto que pode mudar toda a aparência de um quarto. Então, analise as informações apresentadas e veja qual modelo e material se adéquam melhor à sua realidade.


terça-feira, dezembro 15, 2020

Escolhendo o melhor terreno para sua casa nova








Escolher o terreno certo é muito importante para poder construir a casa dos seus sonhos. Confira 10 características do terreno que podem influenciar sua escolha e que representam economia na hora de comprar ou de construir.

1. Observe o desnível (topografia)


O terreno pode ser plano, em aclive (sobe em direção ao fundo) ou em declive (quele que desce, ou seja o nível da rua está mais alto que o fundo).


Quando o terreno tem estas inclinações, um bom projeto pode aproveitar melhor o traçado natural e evitar grandes cortes de terra ou aterros. É esta movimentação de terra que deixa a obra mais cara, pois é preciso pensar em estruturas de contenção (muro de arrimos) e de drenagem, que são bem caras!


Por outro lado, os terrenos mais ingrimes costumam custar menos que os planos e permitem visuais bem interessantes quando a construção é bem pensada. Mas, geralmente para acomodar a casa em desnível é preciso fazer alguns degraus. Então, se você quer uma casa térrea, pense bem antes de comprá-lo!
2. Verifique o tipo de solo
Escolhendo o melhor terreno para sua casa nova


Como a gente não tem visão de raio-X é difícil saber se o solo vai permitir fazer uma fundação mais simples e mais barata ou se vai ser preciso gastar mais com isso. Para ter certeza do tipo certo de fundação, é preciso contratar uma sondagem que faz o perfil do terreno para determinar em que camadas estão os solos apropriados para apoiar o alicerce!


Se você ainda está começando a pesquisar, observe: 
se há muitas pedras na superfície do terreno, provavelmente será preciso fazer uma fundação mais profunda e mais cara. 
se há proximidade com rios ou cursos d´água, tubulações e córregos, saiba que solos alagados também aumentam os custos de fundação. 
Você também pode perguntar para os vizinhos qual tipo de fundação eles adotaram. 


Isso tudo serve para ter uma ideia do tipo de solo, mas nada disso te dá certeza. Vale a pena contratar um serviço de sondagem de solo quando adquirir o terreno e antes de fazer o projeto . 
3. Confira a posição em relação ao sol


Na hora de escolher o terreno, veja onde o sol nasce e onde ele se põe. O melhor é deixar os quartos voltados para o nascer do sol. Então veja se a face voltada pro sol nascente fica num bom lugar do terreno ou se ela está virada pra um prédio alto que faz sombra no terreno. Veja também se não um terreno vizinho vazio que pode roubar seu sol mais pra frente.
4. Leve em conta localização e vizinhos


Todo mundo se preocupa com a facilidade de acesso e com a infra-estrutura (transporte, lazer, serviços) próximas ao terreno. Mas às vezes esquecemos de coisas que podem causar incomodo. Imagina você querendo dormir e um super barulho de uma casa noturna? Ou querendo chegar em casa, mas com dificuldade por estar perto de um grande pavilhão de eventos?


Antes de escolher o terreno e decidir, observe sempre o entorno e visite o terreno em horários diferentes, inclusive à noite e no final de semana.
5. Além do tamanho, veja os recuos obrigatórios


Cuidado com terrenos muito estreitos porque, em geral, você é obrigado a deixar um recuo lateral, ou seja, você não poderá ocupar toda a largura do terreno. Quem determina isso é a Lei de Uso e Ocupação do Solo de cada município.


Em geral, a largura da frente do terreno é valorizada e corresponde a 30% do preço do lote. Quanto maior a frente, mais caro.E se for de esquina, mais caro também, pois são mais opções de projeto, de insolação e de ventilação. Embora seja mais caro, pode valer a pena porque você conseguirá aproveitar melhor o terreno.
6. Cheque o zoneamento e as limitações que ele impõe


O zoneamento divide a cidade em áreas e determina o que pode ser construído em cada uma delas: só residências, prédios, comércio, indústria ou zonas mistas? O zoneamento define também o número de andares que se pode construir (tecnicamente isso se chama gabarito) e quanto pode se ocupar do solo.


O corretor de imóveis pode te ajudar a identificar o zoneamento do terreno ou você pode pedir uma ficha de informação na prefeitura. Caso seja um loteamento em condomínio, verifique as condições que o condomínio impõe.
7. Veja o que pode ser feito se houver mata nativa


Veja se o terreno tem muitas árvores. Se você quiser retirar algumas no local onde vai fazer a casa, verifique na prefeitura se aquele terreno tem restrições. As árvores nativas são protegidas por diversas leis e você precisará pedir uma licença se quiser cortar. Ou, o melhor seria planejar a construção sem derrubar nenhuma das árvores, fazendo um projeto em que elas fiquem bem integradas à casa.


Há também locais de preservação ambiental que não podem ser desmatados e construídos e faixas próximas a rios que devem ser preservadas. Se informe.
8. Pense sobre a infra estrutura da região


Verifique se a concessionária de luz, de abastecimento de água e as redes de esgoto e de gás chegam ao seu terreno. Veja também se as ruas são pavimentadas, se a região é servida por transporte público e se por perto tem hospital, supermercados, padaria, farmácia, escola e outros serviços que você acha importantes.


Estar em uma área mais estruturada aumenta o custo do terreno, mas pode te dar melhor qualidade de vida e até fazer você economizar tempo e dinheiro.
9. Cheque a documentação com muito cuidado


Para escolher o terreno, verifique se não há nenhum problema com a documentação do imóvel. Exija a certidão de propriedade do terreno atualizada (é emitida pelo Cartório de Registro de Imóveis) para saber se a situação está regular.


Também é importante pedir as certidões de ações dos distribuidores (cartórios) cíveis, de protesto, de execuções fiscais e de ações federais do proprietário e de seu esposo (a). Esses documentos indicam se há ações contra o proprietário que envolvam o terreno a ser vendido. Se o proprietário constar como solteiro na certidão de propriedade e agora estiver casado, além das certidões em nome de seu cônjuge, ele terá que atualizar seu estado civil no registro do imóvel (isso se chama tecnicamente de ‘averbação do casamento perante o Cartório de Registro de Imóveis’). 





Se for comprar de pessoa jurídica, você precisa pedir a Certidão Negativa de Débitos (CND) do INSS.


Seja quem for o vendedor, não se esqueça de pedir o carnê do IPTU, no qual constam as metragens do terreno e seu valor venal, e a Certidão Negativa de Débitos Municipais, que mostra se existe dividas com o município, referentes ao terreno.
10. O que importa pra você na hora de escolher o terreno?


Depois de ter avaliado tudo isso, tenha muita clareza de qual é o seu sonho. Pensar no tipo casa que deseja construir é muito importante para escolher o terreno. O que é importante pra você: muito espaço livre? ou uma casa que ocupe bem o terreno, com muitos cômodos? economizar na compra ou economizar na obra? em que lugar da cidade você quer estar? Pensar também o quanto esse terreno facilita a construção da casa que você deseja. 


Use todas essas informações para escolher o terreno com segurança.

sexta-feira, julho 03, 2020

Cortinas



Usadas desde antigamente, as cortinas desempenham diferentes papéis nos ambientes, por isso quero ajudá-los a escolher qual o melhor modelo e tipo para as suas casas. Dentre as várias funcionalidades, as cortinas são bastante famosas por acrescentar aconchego nos ambientes, mas também servem para separar ambientes, serem as portas de armários, bloquearem o sol e etc.


Na hora da escolha, sempre coordeno as cores das cortinas com a decoração do ambiente, pois tudo faz parte de uma harmonia; e como moramos em um país quente, gosto muito de cortinas com tecidos mais leves e forros que protegem estes tecidos do sol, às vezes tecidos mais encorpados como veludo, podem pesar o equilíbrio que queremos. Coloridas ou não, vocês é que decidem, mas as cortinas com cores neutras tendem a cansar menos e serem mais fáceis de reutilização numa mudança de decoração.

O uso de cortinas em um ambiente faz toda a diferença na decoração e no conforto que sentimos ao estar nele, então, as cortinas, além de desempenharem a função de dar privacidade e evitar que a iluminação natural entre no ambiente, estas ainda desempenham um papel estético e o tipo de acabamento escolhido para elas, podem valorizar ainda mais esta peça no ambiente em que ela foi proposta!

Então, vamos aos tipos de pregas e acabamentos?



sábado, maio 16, 2020

Tapetes em dormitórios



Vou falar umas dicaS sobre dimensão para tapetes e finalmente vamos falar sobre os tapetes para dormitórios.

Existe algumas “regrinhas” para valorizar e harmonizar melhor os ambientes com a decoração. Além de decorar os tapetes deixam o cômodo mais aconchegante, acolhedor, melhorando a acústica e a sensação térmica do quarto.
Para os dormitórios também existem algumas dicas que facilitam bastante na hora de usar o tapete.
Então, vamos lá...

Para quarto de casal (médios e grandes):- Tapete grande abrangendo quase toda a cama.
O tapete deverá cobrir toda a área da cama, laterais e frente (ou final da cama), de forma fiquem em média 50cm nas laterais e na frente. É preciso deixar o tapete afastado dos criados-mudos em média 15cm. OU
- Use um tapete bem grande, de forma que envolva toda a cama, os criados-mudos e ainda sobre nas laterais e no final da cama.
Deve ficar com uma borda em média 50cm de tapete em todos os lados da
cama.

2. Para quarto de casal (Qualquer tamanho de quarto).- Dois tapetes estreitos em cada lateral da cama.
Colocar os tapetes com mesma medida em ambos os lados da cama, o tapete deverá ter no mínimo 50cm de largura por 1,00 de comprimento (o tamanho “ideal” seria se o tapete acompanhasse até o final da cama, recuando apenas 10cm da ponta).

​3. Para quarto de solteiroEssa dica é bem simples, podemos colocar passadeiras laterais (largura mínima de 50cm por 1,00cm de comprimento ou que acompanhe até o final da cama, não esquecendo o recuo de 10cm da ponta), ou podemos também dependendo do dimensionamento do quarto, colocar um tapete inteiriço abrangendo toda a lateral (nesse caso podemos usar quando o quarto possui mais de uma cama de solteiro ou se a cama está encostada na parede).

Abaixo acompanhe alguns exemplos que separamos sobre os tamanhos e posições dos tapetes.








sábado, abril 11, 2020

Cabeceiras de cama



Desde que a Cama Box foi lançada, ela ganhou destaque entre os consumidores pela praticidade e conforto no dia a dia. 

Um charme à parte é a livre escolha das cabeceiras que dão o toque especial à decoração do quarto!

Sabe aquele detalhe que pode transformar completamente o seu quarto? Uma cabeceira bonita pode dar todo o charme que seu ambiente tanto precisa. Afinal, foi-se a época em que sempre que compramos uma cama, a cabeceira vem junto. Mas, essa é uma das vantagens da cama box, pois permite mais versatilidade ao escolher a cabeceira separadamente.

Seja para deixar a cama mais bonita ou para dar aconchego ao encostar a cabeça enquanto lê um bom livro, a cabeceira é um item que você deve investir sem peso na consciência. Para saber qual é a largura ideal, fique atento nas medidas da sua cama:

Cama box solteiro (0,88 x 1,88 m). Cama box casal: (1,38 x 1,88 m). Cama box Queen (1,58 x 1,98 m) e Cama box king: (1,93 x 2,03 m). Porém, não é necessário comprar a cabeceira exatamente da mesma largura da cama, pelo contrário, comprar a cabeceira um pouco maior do que a cama fica até mais bonito, costumam chamar de alinhamento com folga.


Não existe um modelo ou regra a ser seguido, mas deve-se levar em conta a decoração do ambiente como um todo: cores, lençóis, quadros, etc. 

Para a altura, não há um padrão, mas o importante é pensar na utilidade que terá a sua cabeceira. Por exemplo, se as pessoas da sua casa costumam ficar sentadas enquanto leem um livro ou usam o notebook, quanto maior melhor. Ah, e não deixe a decoração de lado... Falar em cabeceira é o mesmo que falar em cama, que é o principal móvel do ambiente, e tamanha importância exige que ela transmita aconchego e combine com o restante do quarto.





















Fontes do Pinterest